Representantes da Apex e Fiergs apresentam ferramentas e oportunidades para exportações

O Departamento de Comércio Exterior da CIC (Dcomex-CIC) realizou na tarde de segunda-feira, 25 de novembro, um encontro de comércio exterior.

O evento reuniu representantes de empresas que já possuem atuação no mercado internacional e aquelas que têm o objetivo de começar a exportar ou importar.

O objetivo foi apresentar as ferramentas para promoção comercial e início de exportações e as oportunidades para 2020.

O encarregado do Escritório Sul da Apex-Brasil, Marcio Guerra, falou das principais ferramentas e iniciativas que estão disponíveis para que as empresas possam promover seus produtos e serviços brasileiros no exterior.

Segundo ele, o volume de exportações brasileiras, apoiadas pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, alcançou 51,8 bilhões de dólares no ano passado, representando 21,5% do total do país.

“Exportar não é um bicho de sete cabeças. Se a sua empresa ainda está tímida para entrar neste negócio, temos ferramentas e conhecimento necessários para lhe preparar para o comércio exterior”, destacou Guerra.

Ele colocou a Apex-Brasil à disposição da CIC e de suas associadas para a elaboração de uma oficina presencial para preparar as empresas para exportar com mais segurança.

Guerra também salientou que a Apex-Brasil conta com mapas estratégicos que demonstram quais os principais mercados e tendências para exportações do produtos brasileiros e as maiores demandas internacionais.

Para o coordenador do Centro Internacional de Negócios da Fiergs, Kurt Ziegler, Se não houver união e colaboração, o processo de internacionalização das empresas brasileiras será muito mais lento.

“Estamos lá para atender de forma complementar a todos os recursos que já beneficiam as empresas que atuam no comércio exterior”.

Ele salientou que o CIN oferece capacitação em comércio exterior (treinamentos, palestras, workshops, seminários e eventos internacionais), estudos de inteligência comercial, além de acesso a missões e as feiras internacionais.

Na ocasião, a coordenadora de Inteligência Comercial do CIN-RS, Marina Finestrali, apresentou os serviços e soluções que são oferecidos para as indústrias, como estudos de mercado, capacitações, missões e feiras, encontros de negócios no exterior, seminários e atração de investimentos estrangeiros.

Ela apresentou dados que demonstram que mais de 70% do volume de exportações brasileiras é realizado por pequenas e médias empresas. Porém, o valor desse montante representa apenas 7,4% do total.

“Isso mostra como há muito espaço para crescimento. Além disso, empresas que exportam adquirem um diferencial de qualidade, conquistam maior segurança em relação à crises, aumentam sua produtividade, diminuem sua carga tributária, além de diversificarem mercados”.

Tags: