Bandeira Vermelha permanece e governador diz que Serra preocupa

A região da Serra permanece classificada em Bandeira Vermelha.

Pela terceira semana consecutiva é mantida a classificação preliminar, fazendo com que os municípios da macrorregião sejam obrigados a seguir protocolos mais restritivos às atividades econômicas.

De acordo com o modelo de avaliação, a região segue no nível mais preocupante, visto que manteve a mesma média ponderada final da semana anterior, de 2,16.

“O conjunto dos dados da Serra é preocupante e endeja cuidados. Na última semana, o número de leitos de UTI ocupados passou de 76 para 92 e o número de mortes subiu de 21 para 32”, alertou o governador, Eduardo Leite, na tarde de segunda-feira, 27 de julho.

O indicador de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos 7 dias cresceu 31%, passando de 81 na semana anterior para 106 na atual.

A serra se enquadra na regra da Trava de Segurança, que determina que regiões classificadas em bandeiras preta ou vermelha no mapa definitivo por dois períodos consecutivos ou alternados, dentro do prazo de 21 dias, precisarão de duas semanas consecutivas com bandeiras menos graves para que possam efetivamente obter redução no nível de risco.

O objetivo deste gatilho de segurança é o de assegurar e caracterizar a efetiva melhora nas condições de uma região. Em mudança recente, foi reavaliado este critério que impõe, de maneira automática, uma semana adicional na bandeira vermelha.

Com a reavaliação, a região que apresentar melhorias consistentes, tanto no controle sobre o avanço da doença como na estrutura de atendimento, poderá ter a reconsideração da trava em casos especiais, sem a necessidade de permanecer automaticamente.